Skip to content
Home Conhecimento Geológico Rochas Ornamentais
Rochas Ornamentais

MAPEAMENTO DIGITAL DO POTENCIAL DE ROCHAS ORNAMENTAIS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

APRESENTAÇÃO

 

Tendo em vista o quadro de esvaziamento pelo qual passava o setor de Rochas Ornamentais e de Revestimento no Rio de Janeiro, o Governo do Estado juntamente com a FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) e outras instituições públicas e privadas relacionadas ao setor empreenderam um conjunto de ações e iniciativas, iniciadas em 1999, visando transformar o Estado do Rio de Janeiro em um dos mais importantes pólos de produção e comercialização de rochas ornamentais, uma vez que, o Estado possui demonstradas vocações para tal, a saber:

(i) existência de potencialidades associadas ao seu quadro geológico;
(ii) estrutura de beneficiamento;
(iii) facilidades de transporte em relação aos principais pólos consumidores da Região Sudeste;
(iv) boa infra-estrutura portuária;
(v). excelente estrutura de serviços;
(vi) ser um centro difusor de design e de moda e,
(vii) ser um centro de turismo e de eventos internacionais e feiras de negócios.

Como uma destas iniciativas, em meados de 2001, o Departamento de Recursos Minerais (DRM-RJ), com recursos disponibilizados pela FAPERJ (Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro) deu início ao Projeto Mapeamento Digital do Potencial de Rochas Ornamentais do Estado do Rio de Janeiro (Escala 1:400.000) com Detalhamento para as Regiões Norte e Noroeste Fluminense cujo objetivo central é disponibilizar, em meio digital, informações sobre o potencial geológico do Estado para rochas ditas ornamentais e de revestimento confrontando-o com as áreas passíveis de geração de conflitos institucionais, em especial quanto à regularização dos processos de uso e ocupação do solo e de preservação do ambiente natural. (Figura 1)

 


Figura 1: Representação gráfica do objetivo central do Projeto


Metodologicamente, optou-se por dois níveis de abordagem para o projeto: um mais genérico (escala 1:400.000) e outro mais detalhado (escala 1:50.000) englobando as Regiões (de Governo) Norte e Noroeste Fluminense e parte da Região Serrana, enfocando informações de cunho econômico, tecnológico, geológico e ambiental.

Integram a abordagem detalhada do projeto os seguintes municípios:

- Região Norte Fluminense - Campos de Goytacazes, Carapebus, Cardoso Moreira, Conceição do Macabu, Macaé, Quissamã, São Fidélis e São Francisco de Itabapoana;

- Região Noroeste Fluminense - Aperibé, Bom Jesus do Itapaboana, Cambuci, Italva, Itaocara, Itaperuna, Lage do Muriaé, Miracema, Natividade, Porciúncula, Santo Antônio de Pádua, São José do Ubá e Varre-Sai e,

- Região Serrana – Cantagalo, Macuco, Santa Maria Madalena, São Sebastião do Alto e Trajano de Moraes.

As informações aqui disponibilizadas constituem uma versão condensada do relatório final do Projeto, ora em fase de conclusão.

Filtro     Exibir # 
# Título do Artigo
 

Acesso Rápido

Siga-nos em nossas redes sociais