Skip to content
DRM-RJ - SERVIÇO GEOLÓGICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Prefeitura recebe a proposta de revitalização e expansão do Projeto Caminhos Geológicos em Nova Iguaçu (DRM-RJ).
24/05/2017
No dia 17 de maio de 2017, a prefeitura de Nova Iguaçu através da sua Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Turismo (SEMADETUR) recebeu o coordenador do Projeto Caminhos Geológicos, do Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro (DRM-RJ), Marcus Felipe Cambra, na sede do Parque Natural Municipal de Nova Iguaçu (PNMNI). 
Neste encontro foi realizada a apresentação do projeto ao Conselho Consultivo do PNMNI e a representantes da SEMADETUR: o Coordenador de Gestão de Áreas Protegidas e Biodiversidade de Nova Iguaçu José Arnaldo dos Anjos Oliveira; o chefe do PNMNI Edgar Martins e a professora do Departamento de Geografia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) Edileuza Dias de Queiroz.
Leia mais...
 
DRM-RJ realiza Mesa Redonda "O desafio da Geologia de Engenharia para levar à frente sua missão na prevenção dos desastres em meio à crise"
23/05/2017
Na quarta-feira, dia 17 de maio, o DRM-RJ promoveu em seu auditório, o evento de Encerramento do Plano de Contingência do DRM-RJ. Este ano o tema da mesa redonda promovida foi “O desafio da Geologia de Engenharia para levar à frente sua missão na prevenção dos desastres em meio à crise”, e contou com a participação da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM); da Fundação Instituto de Geotécnica (GeoRio); e da Associação de Profissionais de Geologia do Estado do RJ (APG-RJ). 
Leia mais...
 
Prefeitura de Itatiaia recebe a proposta de implantação do Projeto Caminhos Geológicos (DRM-RJ)
18/05/2017
No dia 10 de maio de 2017, a prefeitura de Itatiaia através da sua Secretaria de Planejamento e da Assessoria Especial de Cultura recebeu o coordenador do Projeto Caminhos Geológicos, do Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro (DRM-RJ), Marcus Felipe Cambra, o professor Claudio Limeira da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a professora Soraya Gardel da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), o professor Renato Cabral Ramos diretor do Museu Nacional, e o geólogo e mestrando da UFRRJ, Ricardo Leite.
Leia mais...
 
38º Relatório Técnico com a análise da correlação chuvas x escorregamentos no Estado do Rio de Janeiro, no mês de março de 2017

17/05/2017
O Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro – DRM-RJ divulga o 38º Relatório Técnico com a análise da correlação chuvas x escorregamentos no Estado do Rio de Janeiro, no mês de março de 2017, realizada com base em dados pluviométricos do CEMADEN. Em março as precipitações variaram de ligeiramente acima da média a abaixo na Região Sudeste. O Rio de Janeiro obteve os maiores desvios positivos em relação à média mensal de precipitação no mês de março. A intensidade pluviométrica no mês de março geraram acumulada próximos ou superiores a 270 mm/30d, índice de acumulado mensal crítico para o DRM-RJ. A partir do levantamento de informações por contato telefônico com a Defesa Civil Estadual e as Defesas Civis Municipais ficaram esclarecido que Petrópolis foi o único município que teve ocorrência de movimentação de massa. O documento é produzido pela equipe do Núcleo de Análise e Diagnóstico de Escorregamentos – NADE. 

Relatório Técnico com a análise da correlação chuvas x Escorregamentos no Estado do Rio de Janeiro - Mês de março/2017

 
37º Relatório Técnico com a análise da correlação chuvas x escorregamentos no Estado do Rio de Janeiro, no mês de fevereiro de 2017
16/05/2017
O Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro – DRM-RJ divulga o 37º Relatório Técnico com a análise da correlação chuvas x escorregamentos no Estado do Rio de Janeiro, no mês de fevereiro de 2017, realizada com base em dados pluviométricos do CEMADEN. Em fevereiro, as chuvas ficaram abaixo da normal climatológica em toda região sudeste. Os maiores desvios negativos ocorreram na costa verde, médio paraíba e região metropolitana do Rio de Janeiro. Porém na primeira semana do mês de fevereiro, as condições meteorológicas foram influenciadas, principalmente, pelo calor e alta umidade do ar, que favoreceu a formação de áreas de instabilidade sobre a região e que acarretou em chuva localmente forte. Esse evento gerou acumuladas antecedentes próximas ou superiores a 270 mm/30d, principalmente na região serrana do Estado e deflagrou algumas ocorrências de movimentação de massa nos municípios de Petrópolis, Teresópolis e Guapimirim. O documento é produzido pela equipe do Núcleo de Análise e Diagnóstico de Escorregamentos – NADE. 

Relatório Técnico - Correlação Chuvas x Escorregamentos - Mês de Janeiro/2017
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 5 de 70

Acesso Rápido

PCG/CIPEG/NADE
Nucleo de Anslise e Diagnostico de Escorregamentos